DO PRIMEIRO RABISCO À SINTAXE

Por muito tempo, a escola alardeou-se de ser a construtura do futuro. Afirmando-se despreocupada com o agora, que anteriormente necessitaria ser visto, armava todos os seus arsenais para preparar o amanhã. “Não é com o hoje que me preocupo!”, afirmavam os professores. “Trate de estudar para ser uma pessoa digna amanhã”, garantiam os pais. EraRead More…

Leia Mais...

LIBERDADE SEM MEDO, MAS COM ORDEM.

Anos 1960. Comecei a lecionar aos 21 anos. Era a idade mínima permitida naqueles tempos. As aulas eram de Geografia, para o Curso Colegial, hoje Ensino Médio. Descobri que lecionar era tarefa muito fácil. Ao professor cabia ser autoritário e prepotente e a severidade era sinônimo de competência e aos alunos a responsabilidade de seremRead More…

Leia Mais...

UM NOVO ENSINO MÉDIO

Eu e Wanda moramos no bairro da Chácara Santo Antônio, na zona sul da cidade de São Paulo. Não temos empregadas e não encontramos justificativas para fazer almoço em casa. Quando muito, um jantar vez ou outra. Na maior parte das vezes saímos para almoçar nas proximidades, área cheia de diversificados tipos de restaurantes, porRead More…

Leia Mais...

A CRIATIVIDADE É FILHA DA DIVERSIDADE

A escola brasileira, pública ou particular, assassina a criatividade, uma vez que esta perspectiva inteligente abriga dois ingredientes imprescindíveis, sempre ausentes em nossas escolas. O primeiro fator da morte da criatividade advém de um currículo segmentado que impõe limites à expansão do pensamento e a fuga de uma trilha mental subserviente e rotineira. O segundoRead More…

Leia Mais...

FALÁCIA OU VERDADE?

A mentira é um problema asqueroso. Uma ridícula invenção humana que nos faz inferior a qualquer animal. A falácia é ainda pior que a mentira descarada, pois é uma mentira enrustida, disfarçada em verdade. A educação brasileira, e isso não é novidade, sempre se cercou de uma porção de mentiras que chateia, mas, pior ainda,Read More…

Leia Mais...