QUINZE DE OUTUBRO

Um túnel é muito mais que uma obra da engenharia humana. Caminho que ultrapassa pontos que os caminhos comuns não são capazes de atravessar, representa o encontro da luz com a própria luz, algo como o renascer da vida, após período de escuridão. Todo túnel une, integra, conecta e vence barreiras, supera limites, sugere novo desabrochar em velho caminho. Não há nada mais imponente que um túnel, símbolo de fortaleza que vence obstáculos, liga e integra pessoas e coisas.

Uma estrada, tal como o túnel, vence distâncias, junta o ontem com o ontem, mas pode juntar amanhãs e o ontem ao amanhã. Não há nada mais simples e nem mais sublime que uma estrada, símbolo de aproximação, ícone do encontro, ponto entre o que ficou e o que virá. Mas, se túnel e ponte são bem mais que obras de engenharia pelo que estimulam e representam e ainda mais imenso e mais simbólico é o sentido de uma ponte. A ponte tal como o túnel une e como a estrada integra, mas a ponte permite asas aos pés, turbinas às rodas. Sem as pontes, ficaríamos isolados no antes ou no depois do abismo, em ilimitado vazio, sem jamais suplantar sua imensidão senão com a tristeza nostálgica de um olhar. Túneis, estradas e pontes simbolizam a essência do progresso sintetizado no domínio sobre o espaço. Sem essas obras, ficaríamos restritos ao lugar, prisioneiro de limites insuperáveis. Sem essa conquista seria ínfimo o valor da roda, limitada a extensão dos passos.

Se, entretanto, porém tivéssemos que buscar nos homens e em suas profissões um ícone, símbolo que em uma só pessoa pudesse expressar toda a grandeza e a responsabilidade dessas obras fantásticas, que pessoa e qual profissão encontraríamos?

Cremos na inefável figura do professor e da professora, de mestres que se fizeram inesquecíveis. O educador é túnel que traz a luz, estrada que busca esperanças, ponte indispensável entre a realidade entre o sonho e a fantasia.

Parabéns professor.