DICAS PARA DESPERTAR NA CRIANÇA O GOSTO PELA LEITURA

  • Reserve em sua casa (ou na escola) um espaço, ainda que pequeno, mas que deve representar uma espécie de “cantinho sagrado” dos livros. Fale para a criança da importância de manter esse lugar sempre bem cuidado, sempre em ordem, ajude-a a arrumar os livros que possui. Mostre seu imenso respeito e admiração pelos livros, fale desse “cantinho” com respeito, carinho e, uma vez por semana, convide a criança para, com você, cuidar dos livros, passar uma flanela sobre os mesmos, relembrar através de suas páginas momentos que juntos viveram.
  • Ajude a criança descobrir que qualquer livro é como um espelho e, ao mesmo tempo, um álbum de fotografias. Espelho que ajuda a nos olhar em tempos que passaram e sentir como o tempo mudou nossa maneira de pensar e álbum de fotografias que ajuda lembrar lembranças esquecidas.
  • Não é necessário que se faça uma leitura compartilhada, mas é importante mostrar dedicação integral a esses minutos, você com seu jornal ou revista e a criança com qualquer livro que queira ler. Procure não terminar esse breve momento sem fazer perguntas e elogios sobre o que a criança leu, quais fatos aprendeu, o que mais e o que menos gostou nas leituras feitas.
  • Invente uma gostosa troca de informações contando o que de mais interessante, curioso ou engraçado descobriu em sua leitura, habituando-a a comentar também o que mais gostou. O que achou engraçado ou triste.
  • O bate-papo final não precisa durar mais que cinco minutos, mas se durar mais usufrua o encanto desse momento, não se esquecendo de que dentro de algum tempo possa, talvez, estar perdido. A intensidade de uma empatia recíproca pode durar pouco, mas nunca se apagará das memórias.
  • Nunca deixe, durante as refeições ou mesmo em outros instantes quando estiver ao lado da criança, de “conversar” sobre suas leituras, mostrando encanto e interesse e propondo perguntas, criando desafios, mostrando curiosidade sobre seus progressos. Deixe-a falar dos personagens que a encantam e mostre igual encantamento.
  • Ensine-a pensar, pedindo que compare o que leu com coisas comuns do cotidiano, que faça um resumo das histórias lidas, que invente novos nomes para os personagens e novo título para a história.
  • Brinque de ambientar a história em outros tempos ou mesmo nos tempos de agora e pergunte, entre as pessoas que conhecem, quem mais e quem menos se parece com personagens descobertos.
  • Ensine-a procurar palavras em um dicionário e faça brincadeiras para que descubra outras maneiras de se dizer o que habitualmente costuma ser dito. “Vamos descobrir uma nova maneira de falar chinelo?” “Como poderemos falar em “limões” sem usar essa palavra?”. Nessas conversas, conta menos o tempo gasto e mais a frequência com que o desafio é proposto. Dois a três minutos a cada dia não cansa e alegra. Ensina que os livros são como transatlântico que leva pensamentos para viagens jamais viajadas.
  • Pais gostam de agradar os filhos e os filhos gostam ainda mais dos agrados de seus pais. Agradar é forma de mostrar afetividade, e quando este afeto chega sem mimos que viciam, é sempre positivo e fator essencial em boa educação. Mas tirando o afeto pelo afeto, é muito importante se instituir no lar o hábito da meritocracia, isto é, premiar pelo esforço, pela dedicação, pelo mérito. E se essa premiação vale para qualquer atitude que denota empenho, vale ainda mais para estimular o hábito da leitura. Institua pequenos prêmios ou singelos brindes e mostre-se pródigo em surpreender por sua oferta pelo livro que se acabou de ler, pela boa história que se é capaz de repetir, pelo entusiasmo manifestado em mostrar que gosta de ler e tem alegria em aprender.
  • 358120Surpreenda os filhos em, por exemplo, um almoço ou jantar ao erguer o copo de refrigerante, destacando que desejaria brindar um ou mais filhos por mais um livro lido, por mais um tema apreendido. Custa quase nada, mas é lembrança que se guarda pela vida inteira.