TRABALHANDO LETRAS SEM ESQUECER NÚMEROS?

Algumas crianças, em processo de alfabetização, confundem letras com números, utilizando algarismos ao procurar escrever uma palavra, ou se confundem em não perceber algumas diferenças sutis entre números e letras cursivas. Afinal de contas nem sempre o “A” é muito diferente do “4”, e o “E” pode ser confundido com o “3”, ou a letra “S” pode lembrar o “5”, e assim por diante.

Para ajudar a criança superar essa dificuldade, é interessante apresentar diferentes tipos de materiais de leituras (revistas e jornais, encartes de publicidade onde apareçam com destaque nomes e preços, envelopes endereçados, calendários, catálogos telefônicos, rótulos de embalagens e outros) pedindo que identifiquem o que é letra e o que é número, sugerindo que os alunos que sabem mais facilmente fazerem essa distinção, ajudem os que possuem dificuldade maior.

Esse trabalho deve, naturalmente, preceder o emprego do método de alfabetização desejado e é sempre interessante quando realizado com alunos organizados em pequenos grupos e estimulados a descobrir primeiro um número qualquer, depois outro e depois mais outro número. Devem ir aos poucos percebendo que em seus nomes, por exemplo, não entram números e nem no nome da rua em que moram, mas que aparecem em seu endereço completo, pois em uma mesma rua existem naturalmente muitos números.

Aulas com esse espírito de desafio devem ser propostas, alternando-se a outras, até que a insegurança desapareça. Serve para esse propósito, mas também reforça a descoberta da representatividade da escrita.