QUASE OITENTA?

Dias atrás, ao pagar e sair do táxi que me conduzira em uma viagem repleta de conversas tolas e desvairadas, o motorista perguntou pela minha idade. – Setenta e Nove, disse eu. E em seguida desci. Em pé, na calçada, refletindo sobre a resposta que dera e, baixinho e para mim mesmo, repeti: Setenta eRead More…

Leia Mais...