A FELICIDADE É A PRÓPRIA ESTRADA

Não mais vejo as crianças do prédio em que moro brincarem na rua. Não existem mais ruas de antigamente onde meninos empinavam papagaios, jogavam bolinhas de gude ou nas mesmas se aventuram com os seus carrinhos de rolimãs. Não mais existem nos pátios dos apartamentos meninas brincado de casinha, conversando com a Barbie ou servindoRead More…

Leia Mais...