9 Verdades e 1 Mentira

Inspirado nessa onda, dei tratos à bola e usando como mote a Educação, apresento abaixo o desafio. Destaco 10 fatos sobre a Educação Brasileira e sua tarefa, árdua e nada fácil, é tratar de descobrir quais as nove verdades inquestionáveis e qual a mentira de “cara mais lavada”. 

Quem acertar ganha um gostoso pirulito e para este velho professor, como singelo retorno, o seu abraço.

 Mas… Cuidado. O teste é difícil, capriche para não errar. Vamos lá:
1.       P.I.S.A. é uma sigla que estabelece uma avaliação trienal de estudantes de 15 anos, desenvolvida pela O.C.D.E. e envolve dezenas de países do mundo, entre os quais o Brasil faz parte. Infelizmente, não é das melhores a situação brasileira nessa comparação internacional.

 

2.       Finlândia, Coréia do sul, são alguns doas países mundiais mais bem situados nessa avaliação internacional e, nesse sentido, podem expressar ideias e modelos que servem de parâmetros para uma reforma da educação brasileira.

 

3.       Treze milhões de adultos analfabetos, trinta e três milhões de adultos analfabetos funcionais são números espantosos, mas infelizmente verdadeiros para a realidade educacional de nosso país. Analfabetos funcionais é uma expressão que indica os que sabem assinar seu nome e ler uma ou outra palavra mais simples, mas são incapazes de bem compreender um texto como este que você está lendo.

 

4.       O total de brasileiros analfabetos somados ao de analfabetos funcionais representam números absolutos de uma população nada menos que dez vezes maior que a população total de um alguns países como, por exemplo, a Áustria, Hungria, República Checa e Portugal e inúmeros outros.

 

5.        Outra estatística educacional perversa aponta que em nosso país existem cerca de três milhões (mais exatamente 2,8 milhões) de crianças fora da escola. Uma pequena parcela de recursos gastos anualmente em propinas seria mais que suficiente para resolver essa trágica situação.

 

6.       Pela primeira vez na história, o Brasil regrediu nas avaliações do pisa. Nossa nota em matemática caiu a níveis similares aos do ano 2006. A posição brasileira é péssima e parece não parar de continuar caindo e não apenas em matemática.

 

7.       Ainda nas avaliações do P.I.S.A. se constata que a maior lacuna na aprendizagem dos alunos brasileiros está em sua capacidade de análise e de estabelecer relações entre fatos do cotidiano e o que pensam que apreendem nas escolas.

 

8.       Outro problema sério é o desempenho dos alunos brasileiros nos exames do P.I.S.A. que destacam a uma quase ausência de interdisciplinaridade, isto é, as diferentes disciplinas curriculares raramente “conversam” com entre si.

 

9.       Mesmo considerando fraquíssimo o desempenho dos estudantes brasileiros em avaliações internacionais comparativas, ainda assim merece destaque os gritantes contrastes entre a qualidade média da educação nos estados do sul e do sudeste em comparação como os situados nas demais regiões geográficas.

 

10.   Não existe qualquer relação entre o desempenho médio da educação brasileira e o nível salarial do profissional docente, uma vez que se percebe clara equiparação entre os salários dos professores com o de outros profissionais que concluíram seus cursos superiores.