Editorial

#Gratidão #Amorpelaminhaprofissão #educarpodetransformarvidas

Em cada dez retrospectivas de 2019 que se busca nas páginas de revistas e de jornais da atualidade, pelo menos oito a nove maldizem o ano que finda, lamentam os desvios de rota na caminhada deste belo país, exibem o desespero de tanta corrupção, tantas prisões, tantas propinas.

Não posso, assim, assumir papel opositor e sair em defesa do ano que acabou, mas no plano pessoal, como velho professor e apaixonado cidadão brasileiro, meus olhos se voltam para o ontem imediato e descubro no ano que se foi, momentos de alegria e entusiasmo, gloria irrestrita que, se pudesse, carregaria comigo, inteirinha, para 2019.

Afinal de contas, proferi mais de sessenta palestras no Brasil e exterior viajando de norte a sul e por distâncias que se pensa imaginárias. E, em todos os lugares, todas as palestras, a mesma ternura de uma recepção maior que a merecida, abraços que espantam qualquer cansaço e que clamam para que jamais deles possa, um dia, ser possível esquecer. Continuar lendo >

Crônica do Mês

UMA PERGUNTA E MUITAS RESPOSTAS

 

– Mamãe por que tem horas que seus olhos brilham… brilham tanto como o luar da noite, brilham como faróis na escuridão e, outras vezes, nada brilham e assim se parecem com a noite em que as nuvens se esconderam a lua e os faróis sumiram-se na escuridão!

– Como assim! Meu bem… que história mais estranha é esta que você está inventando. Acho que meus olhos, querido, brilham sempre de maneira igual…

– Não mamãe… não brilham. Quando eu chego da escola e você corre ao meu encontro perguntando como foi meu dia, o que aprendi, o que mais gostei e não gostei nas brincadeiras… enfim, mamãe, quando você, curiosa, pergunta coisas e mais coisas e, ansioso, me faz delas falar… então, mamãe, seus olhos brilham, brilham tanto que corro ao espelho e parece que vejo os meus assim também brilhar…

– Você quer dizer, querido, que em outras vezes meus olhos não brilham! Continuar lendo >

Agenda

 

Último Vídeo

Facebook